Ortopedia Integral

Porque uma consulta de uma hora?

Vivemos em um mundo no qual a especialização, em todas áreas do conhecimento humano, é cada vez mais buscada, tanto por quem fornece um serviço como por quem necessita deste serviço.

Na medicina não poderia ser diferente e cada médico dedica-se a uma área específica, onde coloca toda sua energia, tempo e dedicação, e isso é muito bom, principalmente, para aqueles pacientes que possuem um problema bastante específico.

O grande problema é que, geralmente, dentro da complexidade que é o ser humano, com os componentes físico, emocional, de meio ambiente e familiares, as doenças que nos afligem vem acompanhadas de um número muito grande de “complementos”, fazendo com que fique muito mais difícil fazer um diagnóstico preciso e oferecer um tratamento adequado.

Muitas vezes temos que trocar a “lente macro” por uma “grande angular”, justamente para ver todos os ângulos de um ou mais sintomas.

Meus pacientes, por vezes, estranham, mas gostam quando solicito exames que habitualmente são solicitados por um clínico geral, porque compreendem que sou médico, antes de ser ortopedista. Meu paciente é um ser humano integral, antes de ser um joelho ou um pé.

Outro fator que tem induzido pacientes e médicos a um tipo de consulta “fast food”, super especializada, é a crença, por parte dos pacientes (e de alguns médicos), que uma ressonância magnética é melhor que uma boa e completa anamnese seguida de um bom exame físico. A verdade é que, só com essa prática, os exames solicitados fariam jus a seu nome: exames complementares.

A Ortopedia Integral busca, através de uma visão do paciente como um todo, não dividido em partes, atender a sua necessidade e fazer este sentir-se atendido de uma forma completa. Quando se chega ao diagnóstico específico do problema, e só então, ele pode ser tratado ou encaminhado a um especialista, não devendo perder o vínculo com quem o trata como um paciente integral.

Sabemos que, que para o atendimento ideal, deve haver uma perfeita relação médico-paciente, baseada na confiança mútua e humildade e honestidade por parte do médico.

Cada vez mais a pressa de médicos e, muitas vezes de pacientes, nos fazem tomar atalhos que, nem sempre, nos levam ao final desejado.

Sempre busquei um atendimento integral do paciente, mas ultimamente, e, especialmente no último ano, tenho buscado isto de uma forma sistematizada e sistemática e os frutos colhidos tem sido muito bons.

Dr. Renato Slomka

O Que Dizem Nossos Pacientes

“Desculpem a demora, mas como já te expliquei, escrever é um dos meus prazeres”. Se julgarem muito longo, estão desde já autorizados pela humilde autora, a suprimir trechos, sintam-se à vontade (pois está bem mais longo, do que duas linhas).

Se tivesse que descrever aqui...”

maisLucilene Severo Rodrigues
24 de fevereiro de 2012

Porto Alegre Health Care